segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Documentário - O Riso dos Outros (Direção Pedro Arantes)



Existem limites para o humor? O que é o humor politicamente incorreto? Uma piada tem o poder de ofender?

São essas questões que o O Riso dos Outros discute a partir de entrevistas com personalidades como os humoristas Danilo Gentili e Rafinha Bastos, o cartunista Laerte e o deputado federal Jean Wyllys, entre outros.

O documentário mergulha no mundo do Stand Up Comedy para discutir esse limite tênue entre a comédia e a ofensa, entre o legal e aquilo que gera intermináveis discussões judiciais.

O filme foi dirigido por Pedro Arantes, diretor de séries de humor como "As Olívias", do canal Multishow, e "Vida de Estagiário", da TV Brasil.

Direção: Pedro Arantes

Link para entrevista com o diretor, que esclarece alguns pontos que são importantes no documentário:

TÁ RINDO DE QUÊ?

O Riso dos Outros discute limites do humor; leia entrevista com o diretor do documentário

Poema do meu amigo Wander Delon

Delon Planet: Mosaico de Nós:

Mosaico de nós.

Vejo teu riso fácil em uma face de porcelana
E esse olhar distante que me aproxima em pensamentos.
Sinta a pulsação frenética em meu peito
E a repercussão dessas batidas em palavras gaguejantes.

Quando teu silêncio dita coisas que não quero ouvir
Meus olhos só enxergam aquilo que minha imaginação cria.
Então eu digo coisas que você parece não escutar
E a vejo me surpreender novamente.

Para você é como se tudo isso fosse comum,
E sua naturalidade esconde teu desejo de querer mais.
Você passa da calmaria à tempestade em segundos
Revirando meu mundo a ponto d’eu querer pular fora.

Enquanto caminho em direção oposta a ti
Mais de você avulta em minha cabeça.
Enquanto tua voz brada palavras de repulsa,
Mais sinto tua vontade de me puxar de volta.

Tentamos deixar nossa razão em evidência,
Mas nosso orgulho inibe as ações racionais.
É aí que a distância entre nós
Mostra o quanto somos melhores juntos.

Longas caminhadas exigem que deixemos algo para trás
Para aliviar o peso e conseguir ir adiante.
Os melhores caminhos nos fazem colher algo para levar
E nos impulsiona a andar com os passos largos.

Cada retornar é um “para sempre” outra vez;
E de sempre em sempre vivemos nossa efêmera eternidade.
Nossas contradições esquentam qualquer monotonia gélida,
Transformando nossa relação num mosaico de primeiros encontros.

Por Wander Delon